terça-feira, 16 de junho de 2009

O eterno Barão de Münchausen

A escola do meu filho adotou a leitura do livro As Loucas Aventuras do Barão de Munchausem (sic). Coleção Meus Clássicos, Editora Salamandra, 2003, tradução e adaptação de Heloisa Prieto, ilustrações de Laerte, 72 páginas. Quando vi o livrinho, admirei: muito diferente daquele que eu lia quando criança lá pelos idos de mil novecentos e tal. Eu viajava numa edição da Editora Globo, 1953, organizada por Gottfried August Bürger, ilustrações de Gustave Doré, 200 páginas. Recentemente consegui uma edição francesa, de 1887, também ilustrada pelo genial Doré. Sem saudosismos, de peito aberto, comparei as edições e coloco aqui algumas imagens para que você também possa comparar. Levam-me a pensar sobre o empobrecimento geral de conteúdo e ilustrações. Para vê-las melhor, clique sobre elas. Magno





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Após moderação, o seu comentário será publicado nesta postagem. Obrigado pela visita.